Cinomose e parvovirose: diferenças e sintomas

Probióticos têm efeito positivo para aumentar imunidade e conter diárreia

Entre as doenças contagiosas que mais assustam tutores de animais domésticos, a parvovirose e a cinomose são as mais comuns.

Ambas são altamente contagiosas, mas podem ser evitadas com vacinação e curadas, se diagnosticadas e tratadas adequadamente de acordo com o estágio. São mais comuns em filhotes, porém podem acometer animais adultos e idosos, independente da raça e sexo.

Assim que perceber qualquer sinal, o tutor deve procurar um médico veterinário o quanto antes. Além de exames clínico e físico, ele pode solicitar ainda análise sorológica para confirmar o diagnóstico.

O profissional também deverá avaliar o quadro do paciente e prescrever antibióticos para combater os sintomas. Nessas situações de debilidade, a administração de probióticos ajuda a regular a flora intestinal para conter a diarreia.

Além de fornecer esses microrganismos benéficos, o simbiótico imunomodulador NUXCELL PUFA suplementa a nutrição do animal com nutrientes específicos e betaglucanas que atuam para reforçar a imunidade associados à simbiose de pré e probióticos microencapsulados.

Cinomose

É transmitida por vírus que acomete principalmente cães. Pode se tornar mais grave e atingir o sistema nervoso se não tratada no início. Nesta situação, o cão pode apresentar quadros de tiques nervosos, convulsões e até paralisias, podendo levar à morte.

  • Sintomas da Cinomose: perda de apetite, corrimento ocular e nasal, diarreia e vômito

Parvovirose

Causada pelo Parvovírus canino,  acomete com mais frequência em cães entre as 6 semanas e 6 meses de idade.  É uma gastroenterite viral aguda e altamente contagiosa que provoca perda de peso, falta de apetite, vômitos, diarreia podendo agravar-se.

  • Sintomas da Parvovirose: diarreia sanguinolenta, vômito, anorexia, apatia.

Estudos demonstram que o CPV-2 pode ser transmitido a gatos e gerar causar uma doença semelhante à panleucopenia felina. O tratamento de suporte é essencial para aumentar as chances de sobrevivência.

Transmissão

O contato com outros animais ou ambiente já contaminados é a principal forma de transmissão. No caso da Cinomose, se dá através do contato com fezes, secreções do nariz e boca.

  • Contato com animais infetados;
  • Contato com objetos ou ambientes contaminados;
  • Contato com pessoa que tenham entrado em contacto com animais infetados.
Os dois vírus são resistentes e sobrevivem por muito tempo, por isso é tão importante manter o local de abrigo do animal sempre limpo.

Adicionar comentário