Projeto em SP alimenta e resgata animais de rua

O Grupo de Atitude Social Pets é um projeto social criado em 2017, que desde então tem dado apoio a animais de moradores de rua de São Paulo

Com uma equipe que hoje conta com 17 voluntários, o GAS Pets corre para não deixar faltar “ração na mesa” dos bichinhos. Afinal, são eles os leais companheiros das pessoas em situação de rua. Potes para água, biscoitos, coleiras e roupinhas também estão no pacote em cada uma das ações.

Foto: Cadu Batista / @gas_pets
Foto: Cadu Batista / @gas_pets

Como iniciou o projeto

Durante uma das entregas na rua, em 2017, o grupo abordou um senhor e ofereceu café a ele. Ao lado desse senhor, havia um outro que estava dormindo. Para a surpresa da equipe, o “senhor” que dormia era na verdade um cão, que estava sob as cobertas por causa do frio.

“Ele disse assim: ‘Esse aqui é meu amigo, os outros são conhecidos’. Nessa hora, nós tivemos a real dimensão da importância do animal de estimação para quem está em situação de rua. Esses bichos, além de companhia constante, são muitas vezes o último vínculo de afeto que essa pessoa tem”, diz Christian Francis Braga, idealizador e presidente do Instituto GAS (Grupo de Atitude Social), ONG que atua desde 2016 levando alimentos e cuidados a moradores de rua.

Foto: Cadu Batista / @gas_pets

A partir daquele dia, o grupo passou a provisionar os lanches que levavam sempre pensando em deixar uns a mais para os pets, pois no começo a arrecadação de ração era bem mais difícil. Depois de um tempo, foi estruturada uma divisão dentro do GAS, o GAS Pets, que se ocupa de pensar estratégias e garantir que não falte ração, petiscos e outros itens necessários para esses animais, tanto nas ruas quanto nas comunidades.

“Nós saímos todas as semanas para atendimentos, intercalando ruas e comunidades. Hoje atendemos todas as regiões da cidade de São Paulo, além de outras cidades da região metropolitana, como Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira e Osasco e a capital do Rio de Janeiro”, diz Braga. 

Foto: Thiago Borazanian / @gas_pets
Foto: Thiago Borazanian / @gas_pets

Só em 2020, foram doados 900 kg de ração para cães e gatos nas ruas e nas comunidades atendidas pelo Instituto. O GAS Pets está dentro do plano de ampliação de atuação do GAS, sendo parte componente da construção do Núcleo de Reabilitação Humana e Animal, que contará, novamente, com resgate e tratamento dos bichinhos vulneráveis.

Abordagem

Durante a abordagem, enquanto um voluntário entrega os itens para a pessoa, sempre questiona se pode deixar ração, se o animal é bravo, e assim por diante. O grupo tenta levantar informações sobre o histórico do bicho —não sem antes, claro, sentar no chão para acariciar e ganhar uns “lambeijos” dos animais.

Foto: Cadu Batista / @gas_pets
Foto: Cadu Batista / @gas_pets

“Temos um procedimento de abordagem e sempre instruímos nossos voluntários. É importante lembrar que não são nossos bichos, que por mais que estejamos habituados à convivência com cães e gatos, a cautela é necessária, pois esses animais estão ali muitas vezes protegendo seus tutores. É uma relação de proteção mútua na verdade”, acrescenta Braga.

Cuidados veterinários O projeto, além do cuidado com a alimentação dos animais, aplica vermífugo, que é ministrado sob a orientação de uma especialista —Nathalia Pepe Carneiro é a médica Veterinária e voluntária do GAS PETS.

Foto: Andy Costa / @gas_pets
Foto: Andy Costa / @gas_pets

A vermifugação dos animais em situação de rua cumpre dois papéis fundamentais. O primeiro é a proteção da saúde do animal, para garantir seu bem-estar e pleno funcionamento de todas as funções vitais. O segundo é a interrupção de ciclos de contaminação entre homem e animal.

Como ajudar

A manutenção das atividades do GAS Pets depende de doações, que podem ser realizadas via PIX (CNPJ 34.347.549/0001-79) ou pela plataforma apoia.se/gaspets

FONTE: Uol

Adicionar comentário