“Outubro Rosa Pet” alerta sobre câncer de mama em cães e gatos

Aumento da expectativa de vida é acompanhado por alta de casos

Desde 1990, o décimo mês do ano é dedicado a uma campanha global de alerta e prevenção ao câncer de mama. Nos humanos, a doença é muito mais frequente que em outros animais – com 2,3 milhões de novos casos estimados em 2020.

Doença é mais comum em cães e mais agressiva em felinos

Mas o aumento da expectativa de vida de cães e gatos domésticos tem sido acompanhado por alta nos casos entre essas espécies.  As neoplasias mamárias já correspondem a cerca de 50% dos tumores em cadelas e são o terceiro tipo de tumor encontrado em gatas

Orientar tutores sobre a prevenção para o diagnóstico precoce é o objetivo do “Outubro Rosa Pet”.

Causas

O aparecimento do tumor de mama é multifatorial (nutrição, genética, hábitos, carga hormonal…) e muito mais comum em fêmeas.  Estudos apontam que a gravidez psicológica e os anticoncepcionais em estão diretamente relacionadas com o aparecimento de tumores malignos em cadelas.

Cerca de 50% dos tumores em cadelas são malignos. Já nas gatas, apesar de a prevalência da doença ser menor, 80% dos tumores encontrados são malignos. 

Prevenção

A castração é um importante método de prevenção.

“A incidência de tumores mamários em animais castrados antes do primeiro cio é de 0,5%. Já em cadelas castradas após o primeiro cio, o índice aumenta para 8%. E após dois ou mais ciclos, chega a 26%”, orienta o professor o médico-veterinário Andrigo Barboza de Nardi.

O autor de “Quimioterapia Antineoplásica em Cães e Gatos” (2008) e coautor de “Oncologia em Cães e Gatos” (2016) e “Princípios e Técnicas de Cirurgias Reconstrutivas da Pele em Cães e Gatos” reforça:

“O diagnóstico e o tratamento precoce da lesão ainda são a melhor maneira de proporcionar um prognóstico e, para algumas pacientes, a possibilidade de conferir a cura do tumor”, alerta Nardi.

Uma dieta balanceada contribui de forma significativa para a manutenção da saúde do pet e, consequentemente, para a redução da incidência de doenças. 

Diagnóstico e tratamento

Para diagnosticar a doença é preciso detectar a presença de nódulo na mama, e isso é possível através de contato e palpação do animal. Se for encontrado algum “caroço” nas mamas da cadela ou gata, por menor que seja, é importante levar o pet ao veterinário. 

Em caso de confirmação da existência de tumor maligno, a busca por informações sobre a progressão do nódulo é importante para determinar o tratamento: intervenção cirúrgica ou medicamentosa, através de quimioterapia.

Nessas condições, a suplementação com Nuxcell PUFA garante suporte nutricional com ácidos graxos poliinsaturados e nucleotídeos que oferecem duporte nutricional para reduzir a perda de peso e modular o sistema imune em pacientes oncológicos .

Com informações do Instituto Nacional do Câncer (INCA), Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e Agência Brasil.

Novembro azul pet: câncer de próstata nos animais

 

Adicionar comentário