Cannabis pode ser alternativa terapêutica para pets

Propriedades medicinais têm potencial para serem aplicadas no tratamento de mais de dez tipos de doenças

Um cãozinho chamado Rafiki é o principal exemplo brasileiro de tratamento bem sucedido com cannabis medicinal. Ele foi diagnosticado com uma neoplasia no fígado, estômago, mesentério e baço.

Mesmo sem regulamentação no Brasil, os princípios ativos presentes na planta – e que têm potencial terapêutico comprovado pela ciência – podem ser prescritos por médicos veterinários.

O cãozinho Rafiki, que passa por tratamento com óleo de cannabis (Foto: Reprodução)
O cãozinho Rafiki, que passa por tratamento com óleo de cannabis (Foto: Reprodução)

O cão Rafiki fez uma cirurgia para retirar o baço em 2019, quando tutor e veterinário optaram pelo uso da cannabis. 

Ele retirou o baço e cogitamos a possibilidade de fazer quimioterapia. Mas achamos melhor buscar um tratamento de menor impacto, pensando na qualidade de vida dele”, contou a portal UOL o agrônomo e produtor orgânico, Felipe Ferreira Staboli, 34 anos, tutor de Rafiki.

Uso amplo

Até agora, sabe-se que as principais substâncias da cannabis com propriedades medicinais  são o THC (tetrahidrocanabinol) e o CBD (canabidiol) entre mais de 150 tipos de canabinoides conhecidos.

Além do tratamento da dor crônica, óleo de cannabis tem aplicações como adjuvante em mais de 150 tratamentos clínicos

Assim como já constatado em humanos, há estudos que demonstram os benefícios do CBD em animais com mal de Alzheimer. A substância desacelera o avanço da doença e estimula a formação de novos neurônios. 

Essas propriedades também ajudam os pacientes a ficarem mais calmos e sociáveis.

O CBD demonstrou ainda ser um grande aliado no controle de crescimento de tumores cancerígenos em animais, além de atuar na melhora significativa de doenças como:

  • artrite reumatóide,
  • hipertensão,
  • aterosclerose,
  • síndrome metabólica,
  • lesão isquêmica,
  • depressão,
  • dor neuropática e
  • diabetes (tipo I e II)
Uso indiscriminado e sem supervisão profissional oferece riscos

Cuidados

Assim como qualquer outra terapia, os canabinoides também pode apresentar efeitos colaterais se utilizados em altas doses, ou de forma inadequada.

Nesses casos, esses princípios ativos podem provocar:

  • Alterações do sistema nervoso, como problemas na coordenação;

  • Não pode ser administrada aos animais com alguns tipos de problemas cardíacos, nem para os que são polifarmácia, ou seja, que tomam diversos tipos de medicamento;

  • Contraindicada para pacientes hipotensos;

  • Recomendado que as enzimas hepáticas dos bichinhos sejam monitoradas periodicamente durante o tratamento.

Como é permitido o tratamento?

Apesar de ter a prescrição veterinária vetada por uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de 2019, uma espécie de brecha legal assegura automia aos profissionais para prescreverem princípios ativos da cannabis.

Medical Cannabis for Pets - Holistic Veterinary Care - Oakland, CA

O estatuto dos médicos veterinários permite que eles adotem qualquer tratamento que julguem necessário. É aí que mora a brecha para que o CBD e o THC sejam prescritos.

Fonte da notícia: UOL 

Adicionar comentário