Angorá: o gato da realeza

Raça criada no século XV se tornou uma das mais populares

O Angorá chegou na Europa durante o século XVII com um naturalista francês chamado Fabri. Ele trouxe um casal desses gatos da Turquia, mais precisamente de uma cidade chamada Ancara. Por isso, esse felino também é conhecido como “Angorá Turco”.

Ao ver o gato Angorá, suas características e beleza exótica, Fabri decidiu perpetuar a raça em terras europeias. Pelo que se sabe, o Angorá foi o primeiro gato de pelo longo a se estabelecer pela região. 

Por toda a sua postura, a raça era muito visada pela realeza. Um exemplo disso foi a Rainha Maria Antonieta, a sexta esposa do Rei Luís XVI, que tinha seis gatos da espécie. Hoje, o Angorá é uma das raças de gato mais populares que existem. 

Características 

O Angorá possui pelagem lisa e mais comprida no pescoço, ventre e na cauda, no resto do corpo sua pelagem é média. Apesar de o branco ser o mais comum, outras cores também são aceitas como cinza, preto, canela (ruivo), lilás e smoke.

Os olhos também variam, podem ser azuis, verdes ou amarelos e podem ter um olho de cada cor, sendo bem comum na raça.
  • Porte: Médio
  • Média de altura: 45 cm
  • Peso: 5 a 8 Kg
  • Expectativa de vida: 12 a 18 anos

Curiosidades

  • O Angorá foi, por muito tempo, criado apenas em zoológicos na Turquia, o que ajudou na preservação da raça.
  • Um Angorá muito conhecido, especialmente entre as crianças, é o lindo gatinho branco da Magali da série de quadrinhos Turma da Mônica. Muito travesso e carinhoso, o bichano pensa que é o dono da casa, característica marcante da raça.

Gato branco é propenso a desenvolver surdez

 

Adicionar comentário