Medo e ansiedade nos felinos

Apesar de algumas pessoas acharem que o medo e a ansiedade são sinônimos, os dois termos não significam a mesma coisa.

O medo é uma reação fisiológica emocional e comportamental, frente a uma situação que o assusta – como por exemplo, com os felinos, um outro animal, uma pessoa ou barulho. Porém, é uma resposta aguda frente ao fator que gera o medo. Geralmente resulta em aumento da frequência cardíaca e respiratória, tremores, fuga ou tentar se esconder. Em alguns casos, nota-se que o animal urina e defeca ou age com agressividade defensiva.

Deve-se adaptar o animal aos estímulos respeitando seu tempo. Em alguns casos o animal pode desenvolver fobia, e mesmo com o passar do tempo não conseguir se adaptar.

Já a ansiedade não ocorre devido a uma ameaça externa. Na verdade, é como uma antecipação de um perigo ou ameaça, que pode ser real ou imaginária. Muitas vezes está relacionada à adaptação do gato, e é considerada crônica. Nesses casos, o animal pode desenvolver alterações no apetite, nos hábitos de auto-limpeza, na eliminação de urina, interações sociais ou nas atividades físicas. 

Alguns fatores relacionados à ansiedade são mudança de moradia, chegada de um bebê na casa, saídas dos proprietários ou falta de estímulo (ambiente).

Em geral, deve-se realizar técnicas para modificar o comportamento, manejo do ambiente e até medicações em alguns casos. Atualmente existem especialistas em comportamento animal que podem atender o paciente e identificar os fatores que deixam o animal com medo ou ansioso, e assim orientar melhor o tutor para poder auxiliar o animal no combate à esses fatores estressantes.

Adicionar comentário